Como lidar com o ci√ļme manifesto?

Entrevista de Sergio Savian* para o Jornal A tribuna de Santos

1. No ver√£o, as pessoas parecem ficar mais soltas, bebem mais, exibem os corpos bronzeados… e o ci√ļme pode aumentar. Voc√™ ouve no seu consult√≥rio muitas hist√≥rias de ci√ļme relacionadas a essa √©poca do ano?
O ciumento fica mais saliente ao pensar que pode perder seu parceiro . Na verdade, este¬† √© um sentimento que envolve sempre uma terceira pessoa, quer seja real ou imagin√°ria, que ameace a estabilidade do casal. Muitas vezes, trata-se de um del√≠rio, pois nada ocorreu de fato que justificasse o ataque de ci√ļme. Praia, pouca roupa, balada, internet, tudo isso cria uma atmosfera prop√≠cia para que a neurose se manifeste.¬†

2. Fazer cena de ci√ļme em p√ļblico, dando uma “chamada” no parceiro mostra que a pessoa est√° colocando um limite, ou √© significa descontrole emocional?
O ciumento atacado assemelha-se a um animal que briga para defender seu territ√≥rio. Ele imagina que tem a posse do outro e faz quest√£o de deixar isso muito claro. Manifesta√ß√Ķes p√ļblicas de ci√ļme costumam ser bem constrangedoras e criam um clima muito ruim. Voc√™ pode provocar vergonha e at√© medo em seu parceiro, mas isso n√£o significa que, desta forma, est√° construindo uma rela√ß√£o saud√°vel.¬† A boa rela√ß√£o deve ser baseada na confian√ßa e na aceita√ß√£o do outro, permitindo que cada um amadure√ßa de acordo com seu pr√≥prio timing e n√£o por qualquer imposi√ß√£o.¬†

3. Como a pessoa pode saber se o ci√ļme dela √© exagerado?
O ci√ļme √© exagerado quando voc√™ fica obcecado, quando n√£o para de pensar em trai√ß√£o, quando entra em estado de paran√≥ia e passa a infernizar a vida do companheiro. A origem do ci√ļme est√° na forma√ß√£o da personalidade da pessoa que se tornou neur√≥tica com este assunto.¬†

4. E como o parceiro de algu√©m ciumento pode lidar? D√° para diminuir o ci√ļme da pessoa amada para o relacionamento n√£o acabar?
Se voc√™ tem um parceiro muito ciumento, n√£o se deixe dominar por ele. Toda vez que voc√™ sentir que algu√©m est√° sendo destrutivo, imediatamente afaste-se dele. N√£o h√° nenhuma necessidade de conden√°-lo. Simplesmente diga: “Neste momento n√£o temos que ficar juntos”. Nem perca seu tempo e n√£o tenha expectativas de que ele vai mudar e tudo vai ficar bem. Simplesmente deixe-o sozinho com sua neurose. Ali√°s, o ideal √© que ele procure uma boa terapia! Voc√™ n√£o pode fazer nada por isso.

*Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

 

Coment√°rios sobre a doen√ßa de Romero (Alexandre Nero) em “A Regra do Jogo”, da Globo

Entrevista de Sergio Savian para Notícias da TV РUOL

O personagem passou mal, teve vis√£o dupla, desmaiou e viveu uns perrengues at√© descobrir que tem esclerose m√ļltipla. Gostaria que voc√™ comentasse como um homem que descobriu tal doen√ßa pode viver t√£o agressivamente, participa de crimes, engana mulheres, √© extremamente viril. D√° para dizer que pessoa pode “esquecer, fingir que est√° doente”, h√° algum tipo de caso assim na psicologia?

Existe certa coer√™ncia entre a personalidade do Romero e a doen√ßa que ele apresenta. Os portadores da esclerose m√ļltipla costumam ter uma desconex√£o b√°sica de si mesmos, de suas pr√≥prias necessidades. Diante das injusti√ßas do mundo, da vontade e impossibilidade de mud√°-lo, usam toda a agressividade contra eles mesmos. Assim, o indiv√≠duo doente canaliza as suas for√ßas para a auto-destrui√ß√£o. No fundo Romero n√£o gosta de si, n√£o se aceita do jeito que √©, vive em conflito com isso. E uma forma de se punir seria desenvolvendo esta doen√ßa auto-imude, voltando-se contra si mesmo.
Nos primeiros capítulos da novela ele estava iniciando um processo de fragilização pela doença. Até aí estava tudo certo. Um homem forte, super-herói, salvador da pátria por fora, que para compensar, entra em contato com algo muito frágil em seu interior. A culpa por ser bandido, a rejeição que sentia da sua mãe, tudo o levava à auto-destruição, como se ele não tivesse o direito de viver. Na verdade ele nunca conseguiu ser totalmente um cara do mal. Sempre teve dentro de si algum arrependimento pelo caminho torto que tomou na vida.
No decorrer da hist√≥ria, a doen√ßa praticamente desapareceu, ele se mostrou um homem viril, cheio de energia, o que n√£o √© coerente com a esclerose m√ļltipla, cujo sintoma √© de enfrequecimento gradativo de quem a possui. Enfraquecimento das m√£os, dos bra√ßos, das pernas, da fala, geral. Neste sentido o texto est√° bastante incoerente, pois seria bem dif√≠cil ele, com esta doen√ßa, continuar com tantas atividades, com tanta disposi√ß√£o.
Não sei o final do Romero, mas, diante de tudo o que aconteceu, para compensar, ele deveria agora ter uma recaída fatal com a doença se manifestando de forma avassaladora. Só assim o texto seria minimamente verossímil.

*Sergio Savian é psicanalista e psicoterapeuta corporal. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Vai passar Carnaval em cidade diferente da namorada? Aprenda a lidar com a situação.

Entrevista de Sergio Savian* para o site Preparado pra Valer

1- Se um casal vai passar o Carnaval separado, como os dois podem lidar com a situação?
Depende de onde você vai passar o Carnaval, se na tranquilidade das montanhas ou no agito dos blocos de rua. Dependendo do lugar e das companhias que tiver será mais ou menos estimulado à paquera. Por que passar o Carnaval separado? Não seria uma forma de liberdade para cada um cair na gandaia, relembrando a vida de solteiro? Ou, se for inevitável a separação neste momento, só resta relaxar e curtir a vida sem a presença do outro. 

2- Confiança é o melhor caminho para não prejudicar o relacionamento nesse momento?
Eu diria que o melhor é ter confiança em si mesmo, sem ficar preocupado com o que o outro vai fazer. Só assim você poderá aproveitar os dias de descanso. De toda forma vocês vão voltar ao cotidiano e tudo continua. 

3- Para quem é mais ciumento, como se controlar?
Quem √© muito ciumento n√£o consegue ter controle sobre seus sentimentos, mesmo que seja um del√≠rio desconectado da realidade. Por isso, o ci√ļme excessivo √© uma doen√ßa que deve ser tratada com uma boa an√°lise.¬†

4- Fazer chamadas de vídeo no Skype ou Facetime ajuda a matar a saudades?
Aí sim pode ser uma boa opção. Você mantém o contato, mata a saudade, conta um pouco de você e vice-versa. Mesmo assim, isso deve ser feito com moderação. Coloque mais atenção no aqui-agora do seu feriado. Divirta-se! 

5- Quais dicas complementares você passaria para eles?
Voc√™ pode sofrer ou ser feliz em qualquer situa√ß√£o. Tudo depende de como voc√™ encaminha as coisas. Se for o caso de passar o carnaval separado de seu(sua) parceiro(a), fa√ßa-o por inteiro. N√£o fique com um p√© aqui e outro acol√°. Relaxe e viva o momento atual. Se o namoro tem consist√™ncia, confie nisso, e depois deixe que a rela√ß√£o volte ao ritmo normal. “Don’t worry, be happy!”

*Sergio Savian é psicanalista, especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Grupo de Psican√°lise do Relacionamento – 2016

Coordenação: Sergio Savian*
Todas as terças, das 20:30 às 22 horas
Local: Bela Vista – S√£o Paulo (pr√≥ximo da esta√ß√£o Consola√ß√£o do metr√ī)
Valores: R$ 70,00 (um dia de participação) / R$ 130,00 (dois dias de participação) / R$ 240,00 (4 dias de participação)
Pré-requisito: desejo de autoconhecimento
Inscri√ß√£o e mais informa√ß√Ķes: 011 2368-9305 ou atendimento@sergiosavian.com.br - as vagas s√£o limitadas!

O grupo:
O Grupo de Psicanálise do Relacionamento Р2016 tem a coordenação de Sergio Savian, psicanalista clínico, autor de 14 livros, especializado em relacionamentos. Aqui estudamos os principais conceitos de Freud, Reich, Melanie Kleine, Jung e outros importantes pensadores do comportamento humano. Vamos também compreender como a meditação e a interpretação dos sonhos contribuem, mostrando-nos quem realmente somos. Com esse estudo adquirimos mais consciência de como temos nos relacionado com os outros, abrindo a visão e permitindo que mudanças ocorram.
Também é uma ótima oportunidade para você conviver com pessoas que estão na sintonia do autoconhecimento, compartilhando ideias, experiências e insights.
As inscri√ß√Ķes est√£o abertas. N√£o √© preciso ter forma√ß√£o espec√≠fica.
Caso esteja interessado(a) entre em contato para fazer sua inscri√ß√£o ou obter mais informa√ß√Ķes.

Programação do mês:
Aparelho psíquico
Puls√Ķes
Princ√≠pio da const√Ęncia
Princípio de Nirvana
Princípio do prazer
Puls√£o de morte
Primeira tópica
Consciente
Pré-consciente
Inconsciente
Id, ego e superego
Objetos
Objeto transicional
Introjeção
Identificação

*Sergio Savian √© psicanalista cl√≠nico, especializado em relacionamentos, 34 anos de profiss√£o. √Č autor de 14 livros sobre o comportamento humano, palestrante e roteirista. Saiba mais sobre seu trabalho em www.sergiosavian.com.br

 

GESTOS E POSI√á√ēES CORPORAIS QUE INDICAM SE UM ENCONTRO AMOROSO EST√Ā SENDO OU N√ÉO BEM SUCEDIDO

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal UOL

Antes de tudo precisamos entender que a linguagem corporal √© de enorme import√Ęncia na hora da conquista e mesmo no decorrer das rela√ß√Ķes j√° estabelecidas. Isto porque os bons relacionamentos exigem intelig√™ncia emocional e esta est√° intimamente ligada √† intelig√™ncia corporal. Explico melhor. Ao se basear somente nas palavras, n√£o conseguindo detectar as entona√ß√Ķes, o olhar, o que o corpo diz, voc√™ perde toda a subjetividade das rela√ß√Ķes. O amor, o romance e a conquista n√£o acontecem em linha reta, de formas matem√°tica e l√≥gica. Vai melhor aqueles que entendem a sutileza dos gestos.
Para desenvolver a inteligência corporal e ter uma boa leitura neste sentido é preciso que você, além do intelecto, desenvolva sua expressão. Pessoas que ficam muitas horas por dia em frente ao computador, costumam ser inexpressivas. Já os que dançam, cantam, frequentam a praia, curtem a natureza, desenvolvem um corpo mais vivo, expressivo e como consequencia, fazem uma boa leitura corporal dos outros. Por isso, comece sempre por você mesmo, trabalhando e se divertindo com seu corpo!
Outro aspecto muito importante para o desenvolvimento da leitura corporal, √© a intui√ß√£o. A linguagem do corpo n√£o obedece uma l√≥gica. √Č mais parecida com a linguagem dos sonhos ou outras linhagens anal√≥gicas, como da arte, por exemplo. Por isso, quanto mais voc√™ desenvolve a intui√ß√£o, melhor ser√° sua capacidade tanto de expressar-se como de compreender a express√£o corporal dos outros.

1) O que pode ser observado em relação ao olhar? Por exemplo, quando um olha dentro do olho do outro, é sinal que estão ligados, conectados, caso contrário, não.
O olhar diz muito de quem a pessoa √©. √Č uma das partes do corpo que menos consegue disfar√ßar. Existem olhares diretos, duros, indiferentes, olhares de inveja, de acusa√ß√£o, olhares mansos, t√≠midos, autoconfiantes, sensuais, amig√°veis, ternos, amorosos e muitos outros. Com o olhar voc√™ pode conversar, contar o que sente, falar de suas inten√ß√Ķes. Voc√™ pode metralhar algu√©m com seu olhar, pode ser sutil, brincar. S√£o tantas formas de olhar que ele se torna um poderoso instrumento na hora da conquista. Desenvolver a arte de olhar √© meio caminho andado para uma boa conquista e bons relacionamentos.

2) Em rela√ß√£o ao sorriso, como saber se ele √© sincero e feliz ou se √© “amarelo”?
Um sorriso, quando vindo do fundo da alma, pode ser sentido imediatamente. Um sorriso sincero nos contamina, enquanto um sorriso amarelo sempre nos deixacom a sensa√ß√£o de que tem algo errado. O sorriso espont√Ęneo √© sempre acompanhado com um olhar no mesmo sentido. Quando o √© sorriso falso, n√£o h√° brilho no olhar. Hoje em dia, com tantos “selfies” as pessoas est√£o praticando o sorriso teatral, mas no encontro real, cara a cara, este sorriso n√£o consegue ser mantido por muito tempo. E tudo o que √© fabricado, n√£o √© aut√™ntico, e n√£o funciona.¬†

3) Se um primeiro encontro não termina em um beijo, ou num caminhar de mãos dadas, por exemplo, isso é mal sinal?
Fomos nos acostumando a querer tudo imediatamente e assim perdemos a essência do encontro. Os relacionamentos são processos e quanto mais compreendermos isso, melhor será a qualidade dos mesmos. Se você quiser ir direto ao ponto, quando é muito objetivo, corre o risco de acabar logo com a conversa. Por outro lado, se for muito devagar, pode perder a oportunidade. O toque de mãos, a aproximação corporal, o abraço, o beijo, tudo isso, quando é feito com um bom timing, faz crescer a carga libidinal e o vínculo, dando mais consistência ao encontro. Para tanto, os dois precisam estar de acordo com a progressão do contato. 

4) Em relação aos braços, o que seu posicionamento pode revelar em um primeiro encontro? Por exemplo, braços cruzados e expressão fechada? 
Bra√ßos e m√£os costumam guardar muita timidez. Voc√™ n√£o sabe o que fazer com eles. √Č por isso que muita gente cruza os bra√ßos, fuma, bebe ou mesmo n√£o larga o celular, sempre ocupando as m√£os. No entanto, se conseguirmos liber√°-los das repress√Ķes, eles podem ser belos instrumentos de express√£o e amor.¬†

5) A posição das pernas e/ou dos pés pode revelar algo também? Explique.
Pés e joelhos apontados para dentro indicam introversão, quando apontados para fora, extroversão. Sentar-se com as pernas muito abertas indica que você é bem espaçoso. As pernas muito fechadas pode indicar repressão sexual. O jeito que você caminha reflete a maneira de encaminhar sua vida. Algumas pessoas andam como generais, outras arrastam seus pés, como se estivessem sempre cansadas.

*Sergio Savian é psicanalista e psicoterapeuta corporal especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho em www.sergiosavian.com.br

DICAS PARA MULHERES QUE DESEJAM NAMORAR EM 2016

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal R7

Sergio, você poderia nos dar dicas para as mulheres que desejam mudar e começar a namorar em 2016? Além dessas dicas de o que fazer, como se comportar, queríamos saber também o principal erro dos homens/mulheres que acabam atrapalhando e fazendo com que continuem solteiros.

Para que o amor aconte√ßa √© preciso, em primeiro lugar, entender tudo o que voc√™ tem feito no sentido contr√°rio. Mais do que imagina, voc√™ √© a grande respons√°vel por afastar esta possibilidade em sua vida. √Č sempre mais f√°cil achar que os outros s√£o os culpados, que os homens s√£o ariscos, que ningu√©m lhe quer. Mas n√£o √© desta forma que vai resolver a quest√£o.

Por isso, pergunte a si mesma:

Você tem saído de casa? Tem frequentado lugares onde seja possível conhecer alguém interessante? Algumas mulheres são mais festivas, outras mais recatadas. Tem mulheres que desejam namorar um homem que, como ela, seja religioso. Outras preferem um homem mais intelectual, ou mesmo esportista. Dependendo do homem que você quer, frequente lugares onde ele pode estar.

Voc√™ √© do tipo perfeccionista, que est√° sempre querendo consertar tudo e todos? Se sua resposta for afirmativa, sinto muito avisar que ningu√©m √© perfeito, tampouco as rela√ß√Ķes o s√£o. Neste caso, √© preciso relaxar um pouco e compreender que tanto voc√™ como o outros s√£o seres humanos, de carne e osso, como todos n√≥s.

Voc√™ √© muito rom√Ęntica, daquelas obcecadas por casamento? Isto atrapalha muito. Mulheres assim costumam colocar a carro√ßa na frente dos bois, n√£o permitindo que as rela√ß√Ķes se desenvolvam naturalmente.

Você é muito puritana? Costuma dar muita lição de moral? Se for, saiba que hoje, em pleno século XXI, isso é um fator que afasta até os mais bem intencionados.

Você fala demais? Falar de si pode ser muito legal, mas se falar sem parar pode se tornar muito chata!

Depois de se perguntar sinceramente o que tem feito para afastar os homens de sua vida, est√° na hora de compreender alguns pontos b√°sicos.

Primeiro, preste atenção ao homem pelo qual se interessou: seus gostos, hábitos, estilo de vida, personalidade. Entenda o que está faltando em sua vida. Você pode ser a pessoa que pode completá-lo naquilo que ele precisa.

Segundo: nunca atue em linha reta, de maneira óbvia e previsível. Conquiste-o de forma oblíqua, insinuando seu interesse, mas sem deixá-lo muito seguro.

Terceiro: depois de mostrar seu interesse, retire-se at√© que ele a procure. Brinque com a aproxima√ß√£o e o afastamento deixando-o sempre em d√ļvida, com a pulga atr√°s da orelha.

Quarto: pouco a pouco esteja cada vez mais presente na vida dele, participando de suas atividades, convidando-o também  a participar das suas.

Quinto: pegue leve no começo. Não o pressione, seja agradável.

Sexto: cuide muito bem de si, não só de sua estética, mas também da sua personalidade, do seu astral.

Por √ļltimo: tenha consci√™ncia de si, do que realmente quer ou n√£o para sua vida e para um relacionamento. Esta √© a parte mais dif√≠cil e muitas vezes exige a ajuda de um profissional, um terapeuta ou analista, que pode ajud√°-la a desfazer seus bloqueios e entender quem realmente √©. Afinal, o magnetismo para atrair um homem bacana depende totalmente deste bom contato consigo¬† e da forma com que se comunica com os outros. E isto tem de ser trabalhado! O diamante precisa ser lapidado…

*Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Entrevista de Sergio Savian* para o Site Preparado pra Valer

Entrevista de Sergio Savian* para o Site Preparado pra Valer

1- Como o casal que vive discutindo relação pode tornar o namoro mais prazeroso?
Parando de discutir. A quest√£o n√£o √© discutir, mas saber conversar. Pouca gente tem capacidade de levar um papo reto, que realmente resolva os conflitos. O mais comum √© acusar o outro, √© falar do mesmo assunto sem clareza, sem sabedoria. O mais comum √© cobrar que o outro seja alguma coisa que ele n√£o √©. E tudo o que n√£o se resolve, volta, e vira um c√≠rculo vicioso. √Č muita gente que n√£o sabe viver bem. Est√° sempre inventando conflitos, alguma forma de sair do prazer, do bem bom da rela√ß√£o.

2- A DR é importante nos relacionamentos?
Não gosto do termo DR que significa discutir a relação. Não há necessidade de discutir. Melhor é conversar, esclarecer, um esforço conjunto para  entender o que está acontecendo.

3- Se a namorada gosta de discutir o relacionamento e o homem n√£o, de que forma ele pode agrad√°-la?
√Č importante escutar o que o outro est√° dizendo, desde que n√£o sejam s√≥ acusa√ß√Ķes. √Č importante saber como o outro est√° se sentindo. N√£o que voc√™ seja respons√°vel pelos sentimentos do outro, pois voc√™ n√£o √©. Cada um deve responsabilizar-se por seus pr√≥prios sentimentos. E, se voc√™ n√£o sebe falar de si, trate de aprender. Procure uma boa an√°lise onde voc√™ vai desenvolver a habilidade de expressar o que pensa e sente em um ambiente positivo de crescimento pessoal.

4- Quais são os aspectos que você considera fundamentais para o relacionamento funcionar entre dois jovens?
Todos nós temos um jeito de ser, um modus operandi. Mas nem sempre nos damos conta que este jeitão pode não ser o melhor. Então, o primeiro passo é você dar conta de si, tanto de seus aspectos positivos, como dos aspectos negativos. Este já é um bom começo. Se você tiver a humildade de compreender que não é perfeito, e que ninguém é perfeito, será mais condescendente com seu parceiro. Não exigirá tanto. Portanto, a base de bons relacionamentos é o autoconhecimento.

5- √Č importante eles n√£o deixarem terceiros darem palpites no namoro?
Em √ļltima an√°lise, quem deve saber de si √© voc√™ mesmo. Acontece, por√©m, que sua vis√£o sobre si mesmo e os relacionamentos pode estar bastante equivocada. Da√≠ √© necess√°rio que busque um lugar para que possa se questionar, um lugar para abrir sua vis√£o de mundo, de si mesmo ¬†e das rela√ß√Ķes. Algu√©m mais vivido, com mais sabedoria pode servir como um bom espelho para voc√™ se ver. Mas, ficar aberto aos palpiteiros de plant√£o, de nada ajuda.

* Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho em www.sergiosavian.com.br

√Č POSS√ćVEL SUPERAR UMA TRAI√á√ÉO?

Entrevista de Sergio Savian* para a Revista Pense Leve

√Č poss√≠vel superar uma trai√ß√£o?
Sim, é totalmente possível. Tudo depende da estrutura psíquica do indivíduo e isso está relacionado à moral, mais ou menos rígida; à auto-estima; ao autoconhecimento; às crenças etc.  Algumas pessoas, de personalidade mais frágil, não suportam a ideia de serem traídos; outros, de personalidade mais forte, passam por isto sem tanto sofrimento.

Essa superação é um processo longo? Sempre é muito doloroso?   
Não é fácil saber que seu amado está ou esteve com outra pessoa. O mais comum é ficar com raiva, com medo de perder ou muitas vezes até com ódio. Mas todos estes sentimentos podem ser passageiros, dependendo da capacidade que cada um tem para compreendê-los. Quanto mais rígida a personalidade, mais sofrido e demorado é o processo.

Existem etapas para essa superação?
Creio que sim. Pode passar por desconfiança, investigação, constatação, conversas tensas, compreensão do que aconteceu, perdão e até pela continuidade da relação. Mas nem sempre acontece desta forma e nesta ordem.

Traição indica que o amor acabou? Pode dar sinais de que o relacionamento está desgastado?
Não sei de onde se tirou a ideia de que amando uma pessoa você não consegue ficar com outra. Este é um conceito que não se verifica na prática, que mostra outra coisa. Você pode amar duas ou mais pessoas ao mesmo tempo, cada uma de uma maneira diferente. Você pode amar uma pessoa e fazer sexo com outra. Pode até amar uma pessoa e não ter nenhuma necessidade de estar com outra. Tudo é possível. O amor é selvagem e a gaiola não é seu habitat natural.

Perdoar ou não, qual é o melhor caminho?
Se você prefere ficar com seus conceitos rígidos ao invés de dar continuidade à relação, não perdoe. Mas, se você acredita que vale a pena continuar, perdoe.

Perdoar significa ter de conviver com inseguran√ßa? Quem perdoa consegue realmente esquecer? √Č importante saber lidar com as cobran√ßas externas? √Č importante controlar o desejo de vingan√ßa?
Na verdade ningu√©m √© dono de ningu√©m. Voc√™ ama algu√©m e, em algum momento, a pessoa morre. Voc√™ ama algu√©m e, em algum momento, a pessoa n√£o lhe quer mais. Voc√™ ama algu√©m e, em algum momento, voc√™ mesmo se desinteressa. Al√©m disso, √© da natureza das rela√ß√Ķes que existam diferen√ßas, e, por isso, em algum momento um pode ferir o outro. No amor nem sempre as coisas acontecem do jeito que voc√™ planejou. Voc√™ n√£o tem o controle de tudo. E, se voc√™ n√£o tiver jogo de cintura, tamb√©m ¬†n√£o tem condi√ß√Ķes de levar o relacionamento adiante. Se voc√™ ama, perdoa.

E quem não perdoa, pode ter dificuldade em se relacionar novamente? Pode levar este trauma para outra relação? Isso é prejudicial?
O trauma come√ßa na inf√Ęncia, com as faltas e inabilidades dos pais. Depois, os traumas se confirmam no complexo de √Čdipo, que √© o tri√Ęngulo amoroso entre pai, m√£e e filho. A√≠ vem o aprendizado, nem sempre muito f√°cil, de compartilhar o amor dos pais com os irm√£os. E mais tarde, todo este hist√≥rico vai se manifestar nas rela√ß√Ķes amorosas. Por isso, o trauma n√£o adv√©m somente da trai√ß√£o, mas √© produto da forma√ß√£o de car√°ter de cada um.

Quais são os conselhos para quem opta por perdoar e manter a relação?
O √ļnico conselho que posso dar √©: o passado √© um verdadeiro trambolho. Se voc√™ quer ser feliz ter√° que aprender a deixar o passado no passado.

E quais s√£o os conselhos para quem decide colocar ponto final no relacionamento?
Você pode colocar um ponto final nesta relação, mas isto não significa que o assunto estará bem resolvido dentro de você, tampouco em nossa sociedade hipócrita que promete a fidelidade e não a cumpre. Tente encontrar alguém que acredita e aja de forma coerente, tente encontrar um santo, alguém que não peque, o que é bem difícil de achar.

Homens e mulheres superam de forma diferente? Se sim, por quê? Qual a diferença?
Esta questão não depende de gênero, mas  sim da estrutura psíquica de cada um.

√Č poss√≠vel evitar que a trai√ß√£o aconte√ßa?¬†Trai√ß√£o √© sempre culpa do outro? Pode ajudar a reavaliar o relacionamento, as atitudes, a rotina, ou seja, √© poss√≠vel tirar algum ponto positivo de algo t√£o doloroso?¬†
√Č f√°cil culpar os outros, mais dif√≠cil √© se entender. N√≥s estamos divididos, profundamente divididos. Preocupados com a imagem, com o que os outros v√£o achar, como os outros v√£o nos julgar, e menos atentos √† pr√≥pria verdade, muitas vezes desconhecida de n√≥s mesmos. O reflexo disso, de n√£o ser inteiro, de n√£o ser total, √© precisar de mais e mais pessoas para tentar nos satisfazer. Se alcan√ß√°ssemos a totalidade, o que exige muito autoconhecimento, quem sabe pud√©ssemos vivenciar rela√ß√Ķes sem tantas cobran√ßas, sem tanta ansiedade, sem tanta insatisfa√ß√£o. Sendo assim, n√£o precisar√≠amos trair, tampouco ficar preocupados com esta quest√£o. Mas, para atingir este ponto, √© preciso muito trabalho e consci√™ncia. N√£o v√™m por decreto!

*Sergio Savian é psicanalista, especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Sobre a traição

SOBRE TRAIÇÃO
Entrevista de Sergio Savian*para Roberta Aranha, da Faculdade de Jornalismo da ESPM

Traição significa ausência de amor? Por que as pessoas traem? 
A traição está relacionada à necessidade de exercer o amor de maneira diversa, experimentando-se na relação com outras pessoas, além daquela com quem se assumiu um compromisso. Você pode amar uma pessoa e sentir a necessidade de fazer sexo com outra. Você pode amar uma pessoa de um jeito e ao mesmo tempo amar outra pessoa, de outro. Podemos dizer que na traição você coloca seu afeto em mais do que um lugar. 

A trai√ß√£o se banalizou na sociedade contempor√Ęnea? Ficou mais f√°cil perdoar?¬†
A moral, que por muito tempo foi constru√≠da e alimentada pelas religi√Ķes, est√° mais flex√≠vel. Por isso, mesmo que se pratique a trai√ß√£o, a culpa √© bem menor, e muitas vezes, inexistente. Como s√£o muitos os que pulam a cerca, quem o faz pode at√© entender a atitude de seu parceiro. Outros perdoam porque com isso t√™m o ganho secund√°rio de n√£o acabar com o relacionamento, caso contr√°rio, estariam em apuros de alguma forma.¬†

Dizem que para o homem a traição incomoda se for sexual e para a mulher se for sentimental. Isso é verdade? 
As classifica√ß√Ķes de sentimentos ou rea√ß√Ķes emocionais por g√™nero est√£o ficando para tr√°s. O sentimento de cada um est√° muito mais relacionado com seu hist√≥rico de vida, particularmente com o narcisismo ou mesmo o o complexo de √Čdipo (rela√ß√£o amorosa triangular entre pai, m√£e e filho), mais ou menos resolvido.¬†

Tendo em vista que o adult√©rio j√° foi considerado crime, e atualmente n√£o √© mais, voc√™ acha que isso influ√™ncia de alguma forma nos relacionamentos atuais, principalmente quanto as trai√ß√Ķes?¬†
S√£o muitos os fatores que colaboram para a flexibiliza√ß√£o da moral: as redes sociais facilitam conhecer ou mesmo reencontrar pessoas; o anonimato das grandes cidades; o pragmatismo das rela√ß√Ķes; o fortalecimento do narcisismo; a sociedade mais hedonista. As leis n√£o s√£o a causa, mas a consequ√™ncia, tentando criar novas regras de conviv√™ncia de acordo com os novos tempos.

*Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

AS VANTAGENS DE SER SOLTEIRO AOS 50 ANOS

Entrevista de Sergio Savian* para o portal MSN

Com o aumento no n√ļmero de div√≥rcios, muitos homens e mulheres nessa faixa et√°ria ficam solteiros. Quais s√£o os desafios de quem √© solteiro nessa idade?

Por muito tempo se acreditou que seria muito ruim chegar a essa idade sem ter alguém do lado e, por isso mesmo, muitas pessoas continuavam casadas, mesmo que o relacionamento não fosse de boa qualidade. Atualmente, muitas pessoas entenderam que este modo de pensar e agir não vale a pena, e preferem separar-se ou manter-se solteiros. Alguns desistem de procurar alguém e tratam de viver bem sem uma companhia. Para tanto, precisam desenvolver uma boa relação consigo mesmos e com a solitude. Outros, ainda desejam ser felizes com alguém, ficar, namorar e até casar. Mas para serem bem sucedidos nisso precisam entender como paquerar quando se é maduro. Se não estiver preparado, é possível se dar mal e até mesmo ficar deprimido.

Os homens e as mulheres de 50+ est√£o perdendo o medo de ficar solteiros?
Hoje em dia se tem muito mais condição de ser solteiro com mais de 50. Não existe tanto preconceito, tanta cobrança. Programas culturais, viagens, festas, bailes, sites especializados, tudo ajuda o solteiro maduro ter uma vida de boa qualidade. Para quem se atualiza, não há tanto medo.

Por que alguns homens e mulheres de 50+  acabam optando pela vida de solteiro?
Alguns não conseguiram emplacar uma relação para o resto da vida, outros se divorciaram, muitos aprenderam a viver bem sozinhos, alguns não trocariam a vida de solteiro por nada.

O homem e a mulher de 50+  ou mais consegue viver bem solteiro?
Sim, principalmente aqueles que passaram por um bom processo de autoconhecimento, por boas terapias, ou que participaram de grupos de crescimento pessoal. São pessoas que entenderam que, no final das contas, somos responsáveis por nós mesmos, inclusive pela nossa própria felicidade e infelicidade.

Na sua opinião, quais as vantagens de ser solteiro aos 50 e 60 anos? (pergunta central da matéria)
A principal vantagem é não perder tempo com o que você não considera essencial em sua vida. Sendo solteiros, não perdemos a liberdade, nosso mais precioso bem. Não precisamos dar satisfação ou mesmo suportar os problemas e neuroses alheias. Você pode fazer tudo em seu próprio ritmo, sem ter que preocupar-se com o ritmo dos outros.

No que a vida de solteiro de 50+  difere da vida de solteiro de um jovem?
O jovem tem mais ilus√£o, tem mais energia, e at√© mesmo mais testosterona, o horm√īnio do desejo. O jovem vai para a balada, encara qualquer comida, n√£o pensa tanto em termos de conforto. O maduro √© mais exigente e muitas vezes mais sens√≠vel. Precisa de mais equil√≠brio entre o conv√≠vio com outras pessoas e os cuidados para consigo mesmo. Por isso tudo, o maduro que quer viver bem, precisa entender que o tempo passou e n√£o √© mais jovem, nem mesmo desejar o mesmo tipo de vida dele. √Č preciso acertar o passo com pr√≥prias necessidades. O jovem tem a vida toda pela frente e acha que pode muito. O maduro j√° viveu a maior parte da vida e, se quiser desfrutar o que tem pela frente, precisa ser mais realista e at√© mesmo espiritualizado.

Por conta da maturidade, as pessoas de 50+ conseguem diferenciar solidão de solitude? 
Sim, at√© por conta dos horm√īnios, os jovens sentem mais necessidade de companhia e ainda n√£o aprenderam a estar totalmente bem consigo mesmos. Uma pessoa madura, principalmente se tem autoconhecimento, desenvolveu mecanismos para uma boa conviv√™ncia consigo mesmo. Assim, o que era sentido como solid√£o agora √© encarado de forma natural como solitude.

As redes sociais s√£o uma boa ferramenta para ser solteiro hoje?
Sim. Você não precisa sair de casa para falar com as pessoas. Você fica sabendo o que acontece com o mundo e com os outros, fala de si, troca ideias. Esta é uma forma de se relacionar. Mas, de maneira alguma substitui o contato real, cara a cara, que envolve os cinco sentidos. Paradoxalmente, pode até se tornar um vício, uma forma camuflada de isolamento.

*Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br