Tipos de namorados para fugir

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal IG

1.¬†¬†¬†¬†¬† √Č poss√≠vel j√° nos primeiros encontros identificar comportamentos que reflitam que o namoro pode ser uma furada? Se sim, o que √© legal observar no in√≠cio?
Os primeiros encontros servem exatamente para checar quem é a outra pessoa, quais são seu hábitos, formas de pensar, histórico e sua vida em geral. A linguagem, a forma de falar, a maneira como se veste, a postura. O jeito que come, que trata as outras pessoas, tudo isso nos dão indícios de quem o outro é. Verifique o humor, se reclama ou agradece, se tem autoconhecimento, se é mais ou menos dependente. Enfim, são muitos fatores que evidenciam quem é a pessoa com a qual você está saindo. Importante: verifique se o beijo é bom!

2.      Que atitudes podem mostrar que o seu namorado é egoísta? Por que? Há como lidar com isso?
Na escolha de um programa, na forma de ele dirigir, nas histórias que ele conta, se paga ou não as contas, ou mesmo na hora do sexo, fica evidente se ele é mais egoísta ou generoso.

3.      Como identificar aqueles pretendentes que têm medo de compromisso?
Neste caso, o histórico é importante. Um homem maduro que nunca namorou ou casou mostra que tem problemas em assumir compromissos. Muitos prometem mas não cumprem. Por isso, acredite mais nas atitudes do que nas palavras.

4.      Insegurança do companheiro pode ser um problema? Há algo que possa ser feito para que isso não se torne uma dor de cabeça?
Existem aqueles bem indecisos. N√£o acreditam em si e, por isso mesmo, t√™m dificuldade em tomar decis√Ķes. Diante de muitas op√ß√Ķes est√£o sempre em d√ļvida se suas escolhas ser√£o as mais acertadas, ou mesmo, t√™m receio que escolher algo e abrir m√£o de todas as outras op√ß√Ķes. Este √© um fator psicol√≥gico que merece ser trabalhado por meio de uma boa terapia.

5.      Que comportamento demonstra que o namorado é manipulador? Por quê?
Pouco a pouco você vai percebendo se o que ele fala condiz com a realidade. Ele diz que estava viajando a trabalho e você descobre pelo face que ele estava em uma festa. Ele falha em suas promessas. Promete para te deixar vinculada a ele, mas nem sempre cumpre. E isso pode te fazer muito mal.

6.¬†¬†¬†¬†¬† Muitas mulheres t√™m medo de o companheiro n√£o ser fiel e se mostrar prom√≠scuo. H√° como ‚Äúprever‚ÄĚ esse tipo de comportamento?
A fidelidade n√£o est√° em seus melhores dias. S√£o muitas as oportunidades para trair. Voc√™ conhece muita gente nova na internet, encontra as antigas namoradas. O √ļnica possibilidade √© ter conversas francas a este respeito, mesmo assim, pode ser que ele minta.

7.      E aqueles namorados que já trabalham, poderiam ter saído de casa, mas ainda vivem com os pais e se mostram avessos a responsabilidades? De que forma isso pode ser ruim para o relacionamento?
São muitos os adolescentes tardios. Este é um sinal que ele ainda não está preparado para assumir um relacionamento sério, casar, tomar conta de si mesmo, muito menos de uma família. Por isso, se você pretende casar com um desses, pense bem antes de tomar esta decisão.

8.      E namorado pouco disponível, que sempre quer incluir os amigos em programas a dois? Isso pode ser uma furada?
√Č saud√°vel para o casal ter amizades. Quando n√£o se tem esse tipo de abertura o sistema fica muito fechado e adoece. O oposto, por√©m, tamb√©m n√£o √© saud√°vel. H√° que ter intimidade para conversar ou mesmo para namorar. Neste sentido tanto pode ser furada ficar grudados e isolados, como n√£o ter bons momentos a dois.
*Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

FOI CRIADO UM SITE QUE TERCEIRIZA AS SEPARA√á√ēES!

O que você acha disso?
Entrevista de Sergio Savian* pata o Jornal da BAND – TV BANDEIRATES

Na Austrália foi criado um serviço que cuida de um assunto bastante íntimo das pessoas: a separação. Trata-se na verdade de uma empresa que tereceiriza o final dos relacionamentos. Funciona assim: você não quer passar pela desagradável situação do papo final tão chato para todos. A empresa trata então de enviar uma e-mail ou mesmo um profissional à casa do seu companheiro, comunicando que você não quer mais estar com ele.
Isso dá o que pensar. Parece que ninguém mais quer passar por nenhum sentimento desagradável, nenhuma dor. Mas isto é inevitável, pois, mais cedo ou mais tarde a dor baterá em sua porta novamente, pois faz parte de nossa existência.
Na separa√ß√£o costuma aparecer o lado sombra de cada um. Diante da dor da perda, cada um reage de uma forma. ¬†Alguns pensam em se matar, outros em agredir ou at√© eliminar o outro. Muitos pensam em vingan√ßa. E n√£o √© nada f√°cil lidar com estas emo√ß√Ķes negativas.
Faz parte do mundo civilizado conter nosso lado mais natural, espont√Ęneo, e nos comportarmos de forma politicamente correta. O problema √© que os sentimentos recalcados s√£o escondidos em nosso inconsciente e tendem a se manifestar de uma forma n√£o muito clara, quer seja por doen√ßas psicossom√°ticas, quer seja por comportamentos neur√≥ticos ou at√© mesmo psic√≥ticos.
Pessoas muito contidas em suas emo√ß√Ķes t√™m dentro de si verdadeiras bombas prestes a explodir a qualquer momento.
Do jeito que estamos vivendo, queremos nos desviar do que √© desagrad√°vel, do que √© complicado, do que exige esfor√ßo e consci√™ncia. √Č assim que estamos terceirizando o nascimento, que ao inv√©s de ser natural, √© feito por cesarianas. Terceirizamos a amamenta√ß√£o, que substitui o peito pela mamadeira. Terceirizamos a educa√ß√£o dos filhos, colocando-os desde cedo em escolas, enquanto trabalhamos. Terceirizamos o conv√≠vio com os filhos colocando-os em frente √† TV ou ao computador. Terceirizamos a paquera, brincando de nos relacionar nas redes sociais. Trocamos o contato cara a cara pelo Whatsapp. Acreditamos que uma ag√™ncia de matrim√īnio poder√° nos apresentar o par perfeito. Terceirizamos nossa sa√ļde, acreditando que algu√©m, al√©m de n√≥s mesmos, √© respons√°vel por ela.
Desviamo-nos da vida íntegra, fragmentando-nos.
E agora essa: vamos terceirizar o término dos relacionamentos.
Mas, com tudo isso, que tipo de pessoas estamos nos tornando? Seres superficiais, fracos e burros emocionalmente.
E quando estivermos diante da morte, o que faremos? Quem vai morrer por n√≥s? A√≠ voc√™ ter√° que encarar a dor que nunca encarou em vida. E talvez por isso, viver√° o terror de quem est√° totalmente despreparado para as quest√Ķes mais importantes da vida. ¬†

*Sergio Savian é psicanalista clínico, especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Dicas de programas para curtir o dia dos namorados

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal Terra

Sergio, eu separei alguns programas e queria que você comentasse cada um deles:

- Viajar para destinos nacionais como Campos do Jordão (SP), Monte Verde (MG), Gonçalves (MG), Gramado (RS) e Petrópolis (RJ) ou para capitais sul-americanas próximas, como Buenos Aires  e Santiago.
O namoro precisa ser sempre arejado, e viajar pode ser uma ótima oportunidade para isso. Enquanto viaja o casal pode aproveitar para falar da vida, fazer planos, rever a relação. Lugares bonitos e tranquilos são mais relaxantes, mas também podem ser entediantes. Passear por grandes cidades pode ser estimulante, porém cansativo. Junto da natureza se obtém mais energia vital e até mesmo sexual. Veja o que vocês precisam e boa viagem!

- Passar um dia no SPA com o namorado
O Spa √© uma boa ideia para quem est√° estressado com o corre-corre cotidiano. Massagens, relaxamento, ofur√ī, tudo isso pode fazer bem, mas cuidado, depois de tanto relaxamento pode n√£o restar pique para namorar.

- Fazer um piquenique
Piquenique √© um programa barato de criativo que pode ser bastante rom√Ęntico. Cheira a uma coisa antiga, dos tempos em que os casais n√£o eram interrompidos por tantas mensagens. Pode ser uma √≥tima ideia, desde que voc√™s desliguem seus aparelhos celulares e se entreguem totalmente ao clima.

- Cozinhar algo especial junto com ele
No dia dos namorados as ruas ficam congestionadas, os restaurantes lotados. Por isso, comprar ingredientes para um prato especial, principalmente se acompanhado por um bom vinho, pode ser uma excelente op√ß√£o. Para quem est√° sempre na rua, um momento de intimidade em casa pode ser tudo o que precisa. Neste caso, n√£o esque√ßam de providenciar roupas √≠ntimas novas e atraentes para embalar a sobremesa….

- Ficar em casa, mas com criatividade (al√©m de aproveitar o¬†jantar, assistir filme, espalhar velas, colocar bilhetinhos apaixonados em diversos lugares da casa…)
Esta op√ß√£o √© v√°lida para aqueles que est√£o fartos da rua. Para se manterem vivas, as rela√ß√Ķes pedem intimidade e criatividade. Sair da rotina, criando situa√ß√Ķes inusitadas, pode ser um boa afrodis√≠aco. A ilumina√ß√£o, a m√ļsica, a decora√ß√£o, os aromas e poemas de amor podem fazer a diferen√ßa.

- Fazer um passeio de bal√£o em Boituva (SP)
Este é um programa para quem gosta de adrenalina e não tem medo de altura. Todo casal precisa de alegria, paz de espírito, uma boa dose de aventura e muito beijo na boca. Para que mais?

- Fazer um v√īo panor√Ęmico por S√£o Paulo
Uma coisa √© a vida da galinha que tem uma vis√£o limitada e medrosa de tudo. Outra √© a vida da √°guia, que v√™ tudo de cima, √© cheia de energia e foco. Um v√īo panor√Ęmico por S√£o Paulo pode ampliar a vis√£o e isso pode ser muito ben√©fico para a rela√ß√£o.

*Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

A lenda do dem√īnio maldoso da paix√£o

Texto do livro Semin√°rios sobre An√°lise de Sonhos de Carl G. Jung

Existe uma lenda judaica, bonita e desonrosa, do Dem√īnio Maldoso da Paix√£o. Um homem velho muito piedoso e s√°bio, a quem Deus amava por ele ser t√£o bom, e que tinha meditado muito sobre a vida, compreendeu que todos os males da humanidade v√™m do dem√īnio da paix√£o.
Então ele prostrou-se diante do Senhor e implorou para que Ele removesse o Espírito da Paixão do mundo, e como ele era um homem velho e piedoso, o Senhor acatou seu desejo.
E com sempre acontecia quando ele havia realizado algum grande feito, o homem piedoso ficou muito feliz, e aquele noite, como de costume, ele entrou em seu belo jardim para desfrutar o perfume das rosas. O jardim parecia o de sempre, mas algo estava errado, o perfume n√£o era bem o mesmo, algo estava faltando, alguma subst√Ęncia estava faltando, como um p√£o sem sal.
Ele pensou que poderia estar cansado, ent√£o pegou o seu copo dourado e encheu-o com um vinho antigo maravilhoso que tinha em sua adega, algo que nunca havia falhado antes. Mas desta vez estava sem sabor.
Ent√£o este homem s√°bio tinha em seu har√©m uma esposa jovem e muito bela, e seu √ļltimo teste foi que quando a beijou, ela era como o vinho e o perfume, ins√≠pidos!
Assim ele subiu at√© o telhado novamente e contou ao Senhor o qu√£o triste ele estava, e que ele temia haver cometido um erro ao desejar que o esp√≠rito da paix√£o fosse removido, e ent√£o ele implorou: “Voc√™ n√£o poderia mandar de volta o Esp√≠rito Maligno da Paix√£o?”
E como ele era um homem muito devoto, Deus fez o que ele pediu. Ent√£o ele testou tudo de novo, dessa vez, nada foi ruim – as rosas tinham perfume maravilhoso, o vinho estava delicioso, e o beijo de sua esposa era mais doce do que jamais havia sido!

Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Os mist√©rios e contradi√ß√Ķes dos relacionamentos

Texto de Sergio Savian*

Os relacionamentos amorosos¬† t√™m duas inst√Ęncias. Uma delas √© a institucional, segundo a qual espera-se que os parceiros cumpram determinados pap√©is, tais como fidelidade, lealdade e comprometimento.

A outra inst√Ęncia √© a pessoal e isto significa que, al√©m da expectativa comum a todos os relacionamentos, existem duas pessoas, com suas hist√≥rias particulares de vida, temperamentos e neuroses.

Antigamente n√£o se tinha muita expectativa para os relacionamentos al√©m da estabilidade, cria√ß√£o de filhos, patrim√īnio, papeis sociais etc. Como passar do tempo, aumentou o desejo de que o casamento tamb√©m ofere√ßa um bom sexo e uma parte da realiza√ß√£o pessoal. O problema √© que muitas vezes, estes dois aspectos est√£o em conflito, gerando muito sofrimento.

Fica assim: ou voc√™ segue o “caminho da ro√ßa”, vivendo uma rela√ß√£o com alguma fraternidade e pouca paix√£o, ou deixa os horm√īnios falarem sua linguagem n√£o racional, tampouco politicamente correta.

Voc√™ sonha em ter um amor est√°vel, mas n√£o se conforma em ter seus desejos n√£o realizados.¬† √Č assim que vivemos, entre a cruz e a espada, entre o sonho e a realidade.

Enquanto pensarmos as rela√ß√Ķes a partir desta dualidade, estaremos destinados a sofrer. Outra maneira de viver √© a partir do corajoso caminho do autoconhecimento, quando voc√™ olha para si com bastante honestidade, reconhecendo sua luz e sua sombra. Somente quando nos aceitamos como seres contradit√≥rios, compreenderemos a verdadeira natureza das rela√ß√Ķes.

A vida não é tão lógica e linear como gostaríamos que fosse. Na verdade, ela é um mistério, que ao invés de ser decifrado, pode ser vivido de forma plena.

*Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

O Portal Terra me pede dicas para desencalhar e arrumar um namorado ou namorada até o dia dos namorados

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal Terra

1. Não existem fórmulas fáceis. Não se consegue um(a) namorado(a) da noite para o dia se você não estiver pronto(a). Não é porque decidiu que quer um namorado(a) que você vai conseguir. Por isso, comece, desde já, a se preparar, e para tanto, busque um bom trabalho de autoconhecimento. Não coloque muita pressão sobre si mesmo. Você vai parecer alguém desesperado(a). Isso só atrapalha.

2. Saia de casa. Olhe para as pessoas ao seu redor. Perceba quais delas lhe interessam e quais despertam em voc√™ fortes emo√ß√Ķes.

3. Não adianta nada escolher alguém que não está nem aí com você. Prefira as pessoas que vêem em você algo exótico. Escolha apenas aquelas que manifestam alguma admiração por você.

4. √Č praticamente imposs√≠vel conquistar algu√©m muito ocupado e satisfeito. Mais f√°cil escolher uma pessoa para quem voc√™ vai preencher um certo vazio. Voc√™ precisa ser √ļtil e relevante para o outro.

5. Nunca seja muito direto. Ser óbvio pode causar um impacto de início mas logo perde a força. Melhor se aproximar sempre de forma oblíqua, indireta. Pode até armar uma situação que faça o encontro parecer uma obra do destino.

6. Demonstre que voc√™ √© uma pessoa bem relacionada e que existem pessoas que lhe querem. “Se voc√™ √© alvo de tanto interesse, deve ser bom”, pensar√° seu(sua) pretendente.

7. Comece a aproximação de forma neutra, amigável. Mesmo que esteja muito atraído(a), não demonstre. Coloque um conta-gotas em seu desejo. Vá, pouco a pouco, ganhando a confiança do outro, e, quando for o momento certo, mude o canal e ataque.

8. Seja √ļnico e original. Seja voc√™ mesmo, natural. Ao se produzir muito ou assumir uma postura estudada, voc√™ parece falso(a). E n√£o conquista.

9. Seja generoso(a). Ninguém gosta de pessoas de pessoas mesquinhas, egoístas.

10. Bom humor é tudo na hora da conquista. Já chega a vida que é dura e cheia de problemas. Na sedução, alegria é fundamental.

11. Tenha presença de espírito. Quando surgir a oportunidade, comprometa-se com atitude. Afinal, você não sabe quando a sorte baterá em sua porta outra vez.

12. Se tudo isso lhe parecer muito dif√≠cil, procure uma boa terapia para trabalhar a auto-estima e a comunica√ß√£o. Pode ser que voc√™ viva um isolamento cr√īnico. Neste caso uma boa an√°lise √© o mais aconselh√°vel.

*Sergio Savian √© psicanalista especializado em relacionamentos. Escreveu 14 livros, dentre eles “Paquera – brincadeira de gente grande”, “Chega de rolo, eu quero um namoro” e “Amar vale a pena”. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

A import√Ęncia dos sonhos

10 coisas que você precisa saber sobre os sonhos

Entrevista de Sergio Savian* para a Rede Gazeta de Vitória РES

1 – Qual √© a import√Ęncia de interpretar os sonhos?
Os sonhos cont√©m informa√ß√Ķes preciosas para quem deseja se conhecer melhor e se libertar das neuroses. Quando os interpretamos, acessamos conte√ļdos latentes que se manifestam, e assim ficamos conscientes de nossos desejos mais profundos.¬†

2 РExiste um método para interpretar o sonho?
O principal livro escrito por Sigmund Freud foi “A interpreta√ß√£o dos sonhos”, quando ele desenvolveu um m√©todo para a interpreta√ß√£o. Este m√©todo se baseia na leitura dos conte√ļdos manifestos, aqueles a que temos acesso quando lembramos dos sonhos, interpretando cada um dos seus elementos a partir da livre associa√ß√£o de ideias e de conhecimentos sobre arqu√©tipos de senso comum.¬†

3 – A sabedoria popular tem explica√ß√£o para v√°rios sonhos. Essas explica√ß√Ķes t√™m sentido?¬†
Muitas vezes sim, outras vezes não. Apesar de alguns símbolos funcionarem de forma parecida para grande parte das pessoas, a interpretação deve ser sempre individualizada e artesanal, pois, um símbolo utilizado por uma pessoa por ter um significado diferente para outra.   

4 – Tem como explicar o significado de sonho comuns (ex: trai√ß√£o, estar despido ou com roupa de dormir em locais p√ļblicos, atrasado, sendo perseguido, gravidez, morte de pessoas pr√≥ximas)?
A interpreta√ß√£o dos sonhos relatados se baseia no conhecimentos da psican√°lise. Analisamos o que nos √© relatado para encontrar pistas de desejos que se encontram recalcados dentro do indiv√≠duo. No caso da trai√ß√£o, ela nos remete ao complexo de √Čdipo, quando a crian√ßa vive seu primeiro tri√Ęngulo amoroso com o pai e a m√£e. Dependendo como este complexo √© vivido, se mal resolvido, alguns sentimentos desagrad√°veis sempre tentar√£o vir √† tona. Os sonhos de estar despido em lugares p√ļblicos referem-se a uma necessidade infantil de exibicionismo. Ser perseguido; com a ansiedade paran√≥ica. A morte de pessoas pr√≥ximas pode revelar sentimentos que tivemos quando pequenos. A an√°lise mais aprofundada de cada um destes sonhos deve ser feitas de maneira particular, para cada um.¬†

5 РEles têm relação com o nosso futuro ou representam o momento em que estamos vivendo?
No geral, os elementos do sonho que lembramos t√™m como fonte situa√ß√Ķes cotidianas. Mas a forma como se juntam nos mostram, numa segunda inst√Ęncia, um material ps√≠quico mais relevante. Alguns sonhos podem ser premonit√≥rios, prevendo um futuro que est√° por vir. Algumas pessoas t√™m bastante sensibilidade para isto.¬†

6 – A pessoa tem pesadelo se dormir com o est√īmago cheio?
Os fatores som√°ticos, quer seja est√īmago cheio, vontade de urinar, dentre outros, costumam aparecer em sonhos que fazem refer√™ncias a estas quest√Ķes do corpo. Isso tamb√©m vale para sentir frio, calor, tes√£o, sensa√ß√£o de abafado, etc.¬†

7 РPor que boa parte dos sonhos não tem pé nem cabeça?
√Č da natureza dos sonhos o mecanismo do disfarce. Os conte√ļdos que desejam ser revelados normalmente s√£o vergonhosos e proibidos. Por isso o sonho encontra na censura, maneiras de express√£o. √Č parecido com as letras de m√ļsica que precisavam se utilizar de subterf√ļgios da linguagem para driblar a censura na √©poca da ditadura militar.¬†

8 – Por que lembramos ou esquecemos dos sonhos?
Lembramos quando estamos prontos para nos tornar conscientes de alguns conte√ļdos de nosso inconsciente. Esquecemos quando n√£o temos esta abertura. Pessoas muito ocupadas o tempo todo n√£o costumam lembrar dos sonhos. Pessoas que meditam e reservam um tempo da vida para o sil√™ncio e a contempla√ß√£o, lembram-se mais. No pr√≥prio desenvolvimento da an√°lise, os sonhos come√ßam a ser lembrados.

 9 РQuem está apto para interpretar os sonhos?
Os sonhos devem ser interpretados por algu√©m que tenha bons conhecimentos de psican√°lise, s√≥ assim se obter√° a profundidade que desejada. Interpreta√ß√Ķes gen√©ricas baseadas em manuais n√£o s√£o eficazes.¬†

10 – √Č comum sonhar com lugares da inf√Ęncia?¬†
Sim. Apesar dos sonhos contarem hist√≥rias com base em circunst√Ęncias atuais, quando os interpretamos √© bem comum que o conte√ļdo revelado se relacione com situa√ß√Ķes infantis que ficaram mal resolvidas e pedem para evoluir.

*Sergio Savian é psicanalista clínico que atende em seu consultório em São Paulo ou por Skype, para quem vive em outras cidades. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Posted in Autoconhecimento by savian. No Comments

Sobre o beijo

SOBRE O BEIJO

O dia internacional do beijo é comemorado a nível internacional em duas datas diferentes: 13 de abril ou 6 de Julho.

Sergio Savian, que √© psicanalista, com forma√ß√£o em terapia corporal, fala da import√Ęncia do beijo, tipos de beijos e como melhorar o beijo. O terapeuta √© autor de in√ļmeros livros, entre eles: “Que del√≠cia: paquera e sexo de qualidade”, Sexo: exerc√≠cios para o √™xtase sexual”, “Paquera: brincadeira de gente grande” e “manual do √™xtase sexual”.

A verdade é que beijar é uma das delícias da vida, e por isso mesmo vale a pena fazê-lo bem. E você, sabe beijar? Beija bem? O que é beijar bem? 

O beijo √© um superpar√Ęmetro energ√©tico de afinidade. Um beijo bom significa muita coisa, ele significa que em outros n√≠veis o contato de voc√™s pode ser muito bom tamb√©m.

O beijo √© um marco no encontro amoroso. At√© ent√£o, voc√™ estava conversando, podia at√© ter tocado a outra pessoa. Mas o beijo √© um comprometimento bem maior. √Č o come√ßo de uma nova etapa. Voc√™ est√° comunicando que se entrega, que se mistura. Para cada um o beijo tem um significado diferente.

Conhe√ßo gente que √© capaz de fazer sexo e n√£o beijar, reservando o beijo para ocasi√Ķes muito especiais. Dizem que s√≥ beijam quando est√£o amando. Para outras pessoas o beijo √© o que menos compromete. Beijam muita gente, sem que isso signifique nada al√©m de prazer.

Quem nunca beijou fica na expectativa de como será. E só vai aprender beijando. Não há outro jeito, não há curso, não há aula nem livro que ensine isso.

Voc√™ manifesta o desejo de beijar olhando ou aproximando-se da boca dela(e). Fa√ßa com que esse momento seja bem especial. D√™ grande import√Ęncia ao beijo.

Você está conversando e já existe a vontade de de abraçar, de beijar. Chegue mais perto. Talvez haja abertura para que você a(o) toque. O papo está bom, você olha para a boca dele(a). Relaxe a sua boca, mas não muito, deixe-a suave, semi molhada.

Quando beija, você sente se quer ou não quer continuar. Você experimenta o outro. Gosta ou não? Às vezes pode sentir o beijo meio esquisito. Tem que empatar. O jeito como você gosta de beijar tem que ser compatível com o beijo do outro.

Há gente, por exemplo, que gosta de beijar bem molhado, outras pessoas têm o beijo mais sequinho. Tem gente que enfia a língua na sua boca e não quer saber de tirá-la dali.

Há aqueles também que têm a boca meio dura, descoordenada. Você sente os dentes da pessoa. Aí é jogo duro. Normalmente essas bocas duras pertencem a pessoas bastante rígidas de personalidade.

H√° o beijo de quem fuma, que tem um gosto desagrad√°vel.

Cantores, radialistas, palestrantes, enfim, todos os que trabalham com a voz tendem a ter um beijo bom. Suas bocas t√™m bom t√īnus e flexibilidade.

Na hora do beijo você sente qual é a conexão que quer ter com a pessoa. No beijo você pode sentir se aquele é um encontro qualquer ou se você tem vontade de beijar mais. Você pode começar de forma suave, sentindo bem os lábios. Pode começar com pequenos beijos secos no começo e, pouco a pouco, vai molhando. A ponta da sua língua pode tocar levemente a ponta da língua dela(e).

Voc√™ pode ent√£o pressionar mais os l√°bios nos l√°bios dela(e). De suave, o beijo passa para um ritmo mais forte. Nesse momento, as l√≠nguas j√° se misturam. Tente o equil√≠brio entre as incurs√Ķes de sua l√≠ngua na boca dela(e) e vice-versa. Viaje nisso. Feche os olhos e entregue-se ao momento. √Č uma viagem.

Sinta o corpo todo beijando o corpo dela(e). Seu peito beijando o peito dela(e). Seu sexo beijando o sexo dela(e). Respire. Dê um beijo que tenha o tempo da eternidade.

Mas mude o ritmo de vez em quando. Explore outro repert√≥rio. Sempre h√° um jeito novo de beijar, principalmente porque cada pessoa tem um jeito √ļnico de ser. Se voc√™ estiver muito afoito, por exemplo, volte a beijar de forma mais suave. √Č bem legal. Todo aquele tes√£o que voc√™ est√° sentindo, agora equilibra num beijo suave. Beije tamb√©m com os olhos.

Passe os lábios no rosto do outro. Beijinhos no pescoço. Beijos atrás da orelha. Beijo nos olhos. Isso faz aumentar o tesão.

Deixe os seus lábios se deliciarem com os lábios dela(e). Suas línguas fazem uma dança perfeita. A respiração está ofegante e você imagina que, se existe o céu, você está nele. Sinta-se agradecido por esse momento tão especial. Todo o seu corpo vibra de tesão, de emoção por esse encontro.

Cada beijo seu, não importa a sua idade, pode ter a emoção do primeiro beijo.

Você manifesta o desejo de beijar olhando ou aproximando-se da boca dela(e). Faça com que esse momento seja bem especial: você está conversando e já existe a vontade de chegar mais perto, de abraçar, de beijar. Chegue mais perto.
Talvez haja abertura para que você a(o) toque. O papo está bom, você olha para a boca dele(a) e deixa a sua suave, umedecida.

No beijo, você vê se quer ou não quer continuar. O jeito como você gosta de beijar tem que ser compatível com o beijo do outro.
Há gente, por exemplo, que gosta de beijar bem molhado, outras pessoas têm o beijo mais sequinho.
Tem gente que enfia a língua na sua boca e não quer saber de tirá-la dali.
Há aqueles também que têm a boca meio dura, sem coordenação. Você sente os dentes da pessoa. Aí é jogo duro. Normalmente essas bocas duras pertencem a pessoas bastante rígidas em suas  personalidades.
H√° o beijo de quem fuma, que tem aquele gosto desagrad√°vel.
Cantores, radialistas, palestrantes, enfim, todos os que trabalham com a voz tendem a ter um beijo bom. Suas bocas t√™m t√īnus e flexibilidade.
Existem muitas formas de beijar, e na hora do beijo você vai sentir qual é a conexão que deve ter com a pessoa. No beijo você pode sentir se aquele é um encontro qualquer ou se você tem vontade de beijar mais.

Você pode começar de forma suave, sentindo bem os lábios do outro. Pequenos beijos secos no começo e, pouco a pouco, vá molhando.

A ponta da sua l√≠ngua pode tocar levemente a ponta da l√≠ngua dela(e).Voc√™ pode ent√£o pressionar mais os l√°bios nos l√°bios dela(e). De suave, o beijo passa para um ritmo mais forte. Nesse momento as l√≠nguas j√° se misturam. Tente o equil√≠brio entre as incurs√Ķes de sua l√≠ngua na boca dela(e) e vice-versa. Viaje nisso. Feche os olhos e entregue-se ao momento. Fa√ßa deste momento uma viagem.
Sinta todo o seu corpo beijando o corpo dela(e). Seu peito beijando o peito dela(e). Seu sexo beijando o sexo dela(e). Respire.

D√™ um beijo que tenha o tempo da eternidade. Mas mude o ritmo de vez em quando. Explore outro repert√≥rio. Sempre h√° um jeito novo de beijar, principalmente porque cada pessoa tem um jeito √ļnico de ser.
Se voc√™ estiver muito afoito, por exemplo, volte a beijar de forma mais suave. √Č bem legal. Todo aquele tes√£o que voc√™ est√° sentindo, agora equilibra num beijo suave.
Beije também com os olhos. Passe os lábios secos suavemente no rosto do outro. Beijinhos no pescoço, atrás da orelha. Beijo os olhos. Que sublime! Isso vai aumentando muito o tesão. Deixe os seus lábios se deliciarem com os lábios dela(e). Suas línguas fazem uma dança perfeita. A respiração está ofegante e você imagina que, se existe o céu, você está nele. Sinta-se agradecido por esse momento tão especial. Todo o seu corpo vibra de tesão, de emoção por esse encontro.

Cada beijo seu, não importa a sua idade, pode ter a emoção do primeiro beijo.

Como melhorar o beijo?

Os lábios, a língua e toda a musculatura que participa dos movimentos da boca devem ser trabalhados para melhorar a sua condição de beijar.

O senso de meditação também é bem importante para relaxar no momento. No beijo, quanto mais você se entrega, mais gostoso fica.

Vamos, portanto, começar agora a nossa ginástica do beijo.

Sente-se num lugar confortável, com a coluna reta e os braços soltos.

Pescoço РSolte bem devagar a cabeça em direção ao ombro direito. Respire nessa posição e vá com a cabeça para o outro lado, em direção ao ombro esquerdo. Depois olhe para o lado direito, por cima do ombro. Respire. Olhe por cima do ombro esquerdo. Respire. Solte a cabeça para a frente, estirando a nuca. Vá com a cabeça para trás, alongando o pescoço. Respire. Gire a cabeça para um lado e depois para o outro. Pronto, você soltou seu pescoço.

Massagem РMassageie a face com a ponta dos dedos. Em torno da boca, maxilar, mandíbula, ao redor das orelhas, ao lado do nariz, abaixo dos olhos. Massageie a garganta e o pescoço. Com a palma das mãos massageie o meio do peito. Legal. Solte sempre o ar. Solte a tensão. Talvez você tenha vontade de bocejar, e isso é bom. Assim estará descarregando a tensão.

Lábios РInspire e solte o ar pela boca, movimentando os lábios para fora, feito criança. Fique beiçudo. De novo, inspire e solte o ar pela boca, deixando os lábios soltos. Beijinhos РFaça um biquinho e dê beijinhos no ar, bem pequeninos. Vários beijinhos, tonificando os lábios.

Lábios РCom a boca fechada, sem mostrar os dentes, faça o movimento de esticá-la, como se fosse dar risada, e depois faça biquinho. Respire pelo nariz e continue fazendo esse movimento.

Lábios РFaça o mesmo movimento, mas agora mostrando os dentes. Estique os cantos da boca ao máximo e contraia os lábios fazendo um beição para a frente.

Caretas РFaça caretas envolvendo principalmente a boca, os lábios e a língua.Língua РA língua durinha bem para fora da boca. E depois para dentro. Para fora e para dentro muitas vezes.

Língua РA língua para fora e para a direita e depois para a esquerda. Para a direita e para a esquerda. Legal. Descanse e respire.

Língua РAgora, língua para fora e para baixo, sobre o lábio inferior, e para cima, tentando tocar o nariz. Para baixo e para cima, várias vezes. Respire sempre.

Mastigando – Fa√ßa movimentos com a boca como se estivesse mastigando de boca aberta, quanto mais aberta melhor. Exercite esses m√ļsculos.

Sinta РFeche os olhos e sinta sua boca, seus lábios, sua língua. Fazendo esses exercícios você estará trabalhando a boca para ficar relaxada por um lado e tonificada por outro, o que é super importante no beijo. No beijo às vezes você é delicado e suave, noutras vezes está bem afoito. E nada como uma boca preparada, exercitada para isso.

Sergio Savian é psicanalista, com formação em terapia corporal. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Contato:
011 2368-9305
011 98383-9305
contato@sergiosavian.com.br

Posted in Beijo Linguagem corporal by savian. No Comments

Tudo junto e misturado? A relação do dinheiro nos relacionamentos

Texto de Sergio Savian

Hoje eu quero falar sobre dinheiro e relacionamento. Como é que você lida com isso?
Pergunto: você ainda obedece às leis do machismo que determina que o homem é quem paga as contas? Ou você já se adaptou ao século XXI, quando homens e mulheres trabalham e são donos do seu próprio nariz e também dos seus gastos?
A forma com que você se relaciona com o dinheiro diz muito do que sente e pensa. Pode ser que você acredite que o mundo lhe deve algo. Talvez porque tenha tido pais faltantes e quando se tornou  adulto, transferiu para as pessoas do seu convívio a responsabilidade de sustentá-lo. Pode ser que você se sinta culpado, e por isso acredita que deve se responsabilizar pelos outros.
Mas enquanto n√£o tiver consci√™ncia de si, deixando de projetar ¬†nos outros ¬†o pai, a mam√£e ou o filho, estar√° construindo rela√ß√Ķes capengas, que mais cedo ou mais tarde ir√£o desmoronar. Por isso esta quest√£o deve ser muito bem pensada.
Os relacionamentos saud√°veis exigem muita confian√ßa e para isso h√° que ser verdadeiro. Mas isso n√£o significa que deve confessar cada passo que voc√™ d√° na vida, tampouco investigar o outro como um fiscal, um policial. O amadurecimento de qualquer pessoa precisa ¬†evoluir da situa√ß√£o simbi√≥tica, do tudo “junto e misturado”, para a diferencia√ß√£o e a individua√ß√£o. Voc√™ adquire sua pr√≥pria autonomia e concede esta mesma autonomia ao outro.
Com relação ao dinheiro, é razoável que tenha uma ideia de quanto seu parceiro ganha, mas não há necessidade de entrar em detalhes. Se você tem uma vida conjugal ou mesmo familiar, é justo que as despesas sejam divididas proporcionalmente ao que se ganha. Mas também é importante que cada um tenha uma certa quantia para o destino que bem entender, sem dar satisfação.
Talvez esta seja uma boa fórmula para lidar com o dinheiro no relacionamento. Desta maneira, é possível fazer uma  combinação que seja justa,levando em conta o comprometimento e a responsabilidade necessários, mas que ao mesmo tempo, reflita a fundamental liberdade de continuar sendo você mesmo.
“Tudo junto e misturado” n√£o √© algo saud√°vel para o desenvolvimento do indiv√≠duo. Por isso, √© poss√≠vel confiar, mas se perder a forma, sem perder o contato consigo e assim, manter ¬†uma rela√ß√£o viva e feliz.

Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Semeadura

Sua generosidade chamar√° a bondade alheia em seu socorro.

Sua simplicidade solucionar√° problemas para muita gente.

Sua complexidade provocará muita dissimulação no próximo.

Sua indiferença fará manifesta frieza nos outros.

Seu desejo sincero de paz garantir√° tranquilidade no caminho.

Seu propósito de guerrear dará frutos de inquietação.

Sua franqueza contundente receber√° frases rudes.

Sua distinção edificará maneiras corretas naqueles que o seguem.

Sua espiritualidade superior incentivar√° subimes constru√ß√Ķes espirituais.

Diariamente semeamos e colhemos. A vida é também um solo que recebe e produz eternamente.

Andr√© Luiz, psicografado por Francisco C√Ęndido Xavier