O sentimentalismo é muito chato!

O sentimentalismo é uma emoção superficial e débil, sem causa justificável; um excesso de emoção ou sentimento como motivo de prazer. Você sente prazer em manipular, em desviar a atenção de assuntos realmente importantes para outros que não têm a importância a que lhes atribuí. Seu desejo neurótico é continuar em conflito, repetindo e permanecendo em situações que causam sofrimento a você e aos que estão à sua volta. Sentir é muito bom, saudável, mas quando a expressão do seu sentimento é exagerada, colocando-se como vítima dos outros ou de uma situação, está na hora de crescer. Você pode não perceber, mas quem convive com você acaba percebendo seu jogo e, com o tempo, perde a paciência. Afinal, em sua tentativa de manipular se torna muito chato!
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Até que ponto uma pessoa consegue aguentar tanta pressão num relacionamento?

Entrevista para o Programa THE LOVE SCHOOL
Record TV

Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Atende em seu consultório em São Paulo e on line.

1) Até que ponto uma pessoa consegue aguentar tanta pressão num relacionamento?
Depende de cada um. Pessoas muito carentes tendem a aguentar mais pois temem ficar sozinhas caso coloquem limites ao seu agressor. Pessoas com auto-estima mais elevada não se submetem a situações de violência psicológica ou até mesmo física. O relacionamento amoroso é muito importante para a vida de todos nós, mas tudo tem um limite. Não se pode nem deve continuar uma relação com alto grau de toxidade.

2) Existe um Limite? Qual?
Quando se altera a voz, falando mais alto, já é um sinal de que é preciso entender melhor o que está acontecendo. Xingar o outro, violência física. Acusações infundadas, tudo isso denota que a relação está enferma. Se não houver uma mudança, se algo não for feito, é bem capaz que tudo piore.

3) Quais as reações mais comuns entre pessoas que chegaram ao limite?
Alguns partem para a agressão, outros se calam, pode ser que um dos dois abandone a casa, indo para um outro lugar. Na melhor das hipóteses o casal vai procurar uma orientação, uma terapia de casal, que vai ensiná-los a elaborar o que está acontecendo, na tentativa de encontrar saídas para os impasses. Uma coisa é certa, é preciso repensar a relação, é preciso aumentar o nível de consciência, fazer uma boa reflexão. Sem isto, a tendência é repetir  indefinidamente as atitudes doentias que levam ao conflito.

4) Quais os sinais que mostram que a pessoa pode explodir a qualquer momento?
Falta de diálogo, mudança de humor, isolamento, muitas horas na Internet, consumo exagerado de bebidas alcoólicas ou outras drogas, excesso de trabalho, enfim, tudo o que se pode fazer para fugir do contato com o outro são sinais de alerta de que a relação pode estar mal das pernas.

5) Que atitudes a pessoa deve tomar antes de explodir?
Ao perceber que houve alterações de comportamento, que a relação está perdendo a vitalidade, que o humor foi alterado, o primeiro passo é conversar. Uma conversa madura onde cada um dos dois fala sinceramente o que está sentindo e pensando. Esta conversa não deve ser confundida com acusações mútuas, que não leva a uma boa resolução. É preciso abrir o coração, apostando na continuidade da relação, buscando mais clareza e saúde para a relação. Se o casal não tem a capacidade de ter este tipo de conversa, é aconselhável que procure um orientador de casal para isso.

6) O que diria para alguém que está à beira de um ataque de nervos?
Dedique-se a se conhecer melhor. Sem autoconhecimento, sem você saber o que quer o não para sua vida, as relações tendem à confusão. Abra-se para a sabedoria divina. Aproxime-se de pessoas que podem te ajudar. Você precisa de ajuda. Sozinho(a), é difícil superar situações com estas.

As mudanças não são fáceis, pois não se trata apenas de decisões racionais. Somente com muita clareza, determinação e trabalho interior, aplicando-nos a cada momento, sem desistir, é que elas acontecem. Neste caminho, com o tempo, iremos celebrar as tão desejadas conquistas.
Sergio Savian – psicanalista clínico
(agende uma consulta presencial ou on line)

A humildade é necessária para crescer

Neste mundo de tantas edições, as pessoas se apresentam como se fossem perfeitas. A cultura do politicamente correto predomina e, como ninguém é santo, e todos nós temos muitas imperfeições, cultiva-se a culpa por ser insuficiente. Mas a culpa não resolve nada, ela é o câncer da alma, não resolve os conflitos. Você se sente culpado, e com seus julgamentos faz com que os outros sintam-se assim também. Por isso, se você pretende traçar um caminho verdadeiro de crescimento pessoal e evolução espiritual, pare de julgar, olhe-se corajosamente de frente, e, ao invés de se preocupar tanto em apontar as falhas dos outros, reconheça sua própria sombra. Assim, com a humildade do autoconhecimento, partindo do ponto em que realmente está, sem maquiagem, sem edições, vai excluindo tudo o que é ilusório, tudo o que não serve e, quem sabe um dia desfrutará do melhor de si mesmo e da vida. Não tem outro caminho.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Enquanto você espera, aproveite para relaxar

Cada vez que as coisas não acontecem no seu tempo, no tempo que gostaria que acontecessem, você fica ansioso. Quando se trata então dos relacionamentos amorosos, pior ainda. O outro não responde sua mensagem, não comparece, e você fica agitado, conferindo o Whatasapp, de minuto em minuto. Perde a racionalidade. Na fila do supermercado, no trânsito, aguardando uma resposta de alguém, sempre haverá um motivo para você pirar. Nessas horas a frase “Enquanto eu espero, aproveito para relaxar” é de extrema utilidade. Funciona como um mantra, um instrumento do pensamento, que acalma. Experimente!
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamento
(agende uma consulta presencial ou on line)

O amor é um escudo protetor

Você corre o tempo todo para se manter em uma posição que pode perder a qualquer momento. É estimulado a comprar (e gastar) cada vez mais e para isso trabalha feito louco sem questionar a qualidade de sua vida. A propaganda é contraditória, induzindo-o a consumir coisas e pessoas o tempo todo, sem que isso lhe traga real satisfação e felicidade, como é prometido. Assim, tudo se torna fútil, efêmero, superficial, em meio a uma competição feroz, quando não temos certeza de nada e o amor nos escapa entre os dedos. Os caminhos que são oferecidos mostram-se inconsistentes e não nos levam a uma vida digna. Não é à toa que a depressão é a doença do século! Por isso é fundamental alimentar e desenvolver os vínculos de amizade e prestar atenção na maneira com que nos relacionamos com a gente mesmo e com os outros. É preciso ter consciência para andar na contramão disso tudo. Só assim criaremos um escudo para nos proteger das águas turbulentas deste mundo tão carente de união e sentido existencial.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Responsável por si mesmo

Você pode levar a vida como todo mundo, fazendo tudo igual, tudo o que deve ser feito. Existe também a possibilidade de você sair do caminho da roça, encarando a vida como uma obra de arte. A diferença entre o primeiro e o segundo caminho está na decisão de responsabilizar-se por si mesmo. Senhor de si mesmo, mãe de si mesma, você para de acusar os outros por suas desavenças. Sai do ressentimento, e coloca toda a energia para reconhecer quem você é, o que quer ou não para si. E age, fazendo escolhas, não a partir de comandos alheios, mas a partir da sua própria vontade. É assim que desabrocha em todo seu esplendor e espalha seu perfume para quem quer que esteja ao seu lado. É assim que você se torna uma pessoa realizada e feliz por colaborar com sua forma única de ser.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Liberdade de escolha

Basicamente todos nós somos dotados de vontade e liberdade de escolha. Para que a vida se torne  uma obra de arte, é preciso entender que o mundo à sua volta não é algo “dado” e definitivo. É possível transformá-lo, e você mesmo pode ser alterado ao se dedicar à tarefa de mudá-lo. Sua vontade e escolhas deixam assim suas marcas na vida à despeito de toda a pressão esmagadora de forças externas que impõem um “você deve” onde deveria estar  um “eu quero”. E quando você conclui que o caminho escolhido não leva a lugar algum, e que chegou a hora de abandoná-lo, qual a melhor escolha a fazer? Não existe uma resposta  direta e inequívoca a esta pergunta. Cada decisão tende a permanecer arbitrária, pois ninguém está livre de riscos e seguro contra o fracasso e desapontamento posteriores. Para cada argumento em favor de uma escolha, pode-se encontrar um contra-argumento não menos considerável. A verdade é que a vida caminha na companhia da incerteza! E no final das contas, todos nós vamos fazendo nossas escolhas, cheias de riscos, vamos construindo o próprio destino, sem ter certeza de nada!

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Do medo à confiança

O medo paralisa a vida. Não deixa que ela flua como um rio. Com muito medo você limita as possibilidades do seu viver. Não ousa, não se amplia. Fica na zona de conforto que nem sempre é boa. Deixa de experimentar o melhor da vida. É o grande inimigo da vida. O medo se refere sempre ao futuro, que sempre é uma miragem. Não sabemos e nem dá para afirmar o que vai acontecer à nossa frente. Por isso, é mais sábio abrir espaço em nossas mentes e em nossos corações para a confiança. Qualquer que seja o caminho, ele pode ser feito com muita atenção, dedicação. Você deseja que dê certo. Você confia na vida. Confia em suas capacidades. Aprender também a confiar nos outros. O medo produz a guerra, a confiança produz cooperação, harmonia e amor. Enquanto não mudarmos o foco, do medo à confiança, continuaremos padecendo ao meio à conturbação.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Felicidade

Na pista que leva à felicidade, não existe linha de chegada. Você permanece em curso, e enquanto está na corrida, a esperança de uma vitória futura se mantém viva. (Bauman)

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos